Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais

Navegação

Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Líder do Governo solicita adiamento do PL que firma convênio com o Instituto Sócio Ambiental Vida Verde

Líder do Governo solicita adiamento do PL que firma convênio com o Instituto Sócio Ambiental Vida Verde

         Vereador Líder do Governo, Lucas Farina, atendendo a solicitação de vereadores presentes na sessão desta segunda, pediu adiamento de votação do Projeto de Lei Executivo, no qual firma convênio com o Instituto Sócio Ambiental Vida Verde – Eloverde, visando ao repasse de recursos do Fundo Municipal de Meio Ambiente – FUNDEMA, para produção de 104 Kits de jogos educativos de educação ambiental para as Escolas Municipais, Estaduais e particulares do município.

         Os recursos totalizam o montante de R$ 129 mil, sendo R$ 104 mil oriundos do município de Erechim através do Fundo Municipal do Meio Ambiente e R$ 25 mil a título de contrapartida pelo Instituto.

         Em sua manifestação, Leandro Basso destacou que não tinha como votar favorável ao PL, visto que os jogos educativos não possuem a certificação do Imetro e, portanto, suas peças pequenas podem ser engolidas pelas crianças.

         Tendo em mãos o mascote da Eloverde, mostrou aos vereadores e comunidade presente os perigos que apresenta às crianças, principalmente pelo descolamento das pernas e braços do mesmo que podem ser engolidas por crianças pequenas. “Também destacar que, com este material com que foi confeccionado, levará cerca de 200 anos para se deteriorar junto a natureza. Mais ecologicamente correto se fossem feitos de madeira renovável e o recurso que consta no Projeto de Lei poderia ser utilizado para a compra de caixas de água para serem instaladas junto as escolas do município”.

         Leandro pontuou, também, que trabalhar a consciência ecológica é mais importante do que tirar o lixo, ou seja, trabalhar a comunidade para que não tenha o hábito de jogar o lixo junto aos rios e nascentes.

         “Podemos buscar materiais pedagógicos junto às editoras, visto que o valor solicitado é equivalente a dez anos de investimento na aquisição de obras literárias para a Biblioteca Pública Municipal. Que a liberação destes recursos tenha debate com a presença de escolas”.

         Zé da Cruz, por sua vez destacou que não desconsiderava a legitimidade dos Conselhos. “Um PL que gera discussão maior dentro dos valores estabelecidos. Tenho dúvidas com relação ao mesmo, pois vejo com preocupação e tenho que concordar com o vereador Leandro Basso, pois o mascote apresenta grande perigo para as crianças, como para a preservação do meio ambiente. Um recurso que poderia ser melhor distribuído. Temos que analisar melhor o projeto”.