Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais

Navegação

Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Câmara celebra o Dia da Consciência Negra e entrega o Troféu Castelinho a exemplos da luta contra o preconceito

Câmara celebra o Dia da Consciência Negra e entrega o Troféu Castelinho a exemplos da luta contra o preconceito

Celebrado em 20 de novembro, o Dia Consciência Negra representa a luta da comunidade afro-brasileira contra a discriminação e por igualdade. A data – referência à morte de Zumbi dos Palmares, considerado um ícone da resistência à escravidão no país – também busca exaltar o papel exercido pelos negros na sociedade, através do reconhecimento às contribuições em áreas como política, cultura e religião, por exemplo. A fim de prestar a devida e necessária homenagem a esta rica e valorosa história, o Poder Legislativo realizou, na última segunda-feira (29), uma sessão especial para entregar o Troféu Castelinho, maior honraria da Câmara, a negros de grande contribuição para o município e que são exemplos de luta contra o preconceito.

Proposta pelos vereadores Ale Dal Zotto (PSB) e Claudemir de Araújo (PTB) e pela presidente Ana Oliveira (MDB), a solenidade homenageou o ex-juiz Antônio Carlos Ribeiro; o professor e militante do movimento negro Aldori Nascimento da Silva; a ex-rainha do Clube Treze de Maio Lourdes Pereira; a professora e membro fundador do Movimento Étnico-Cultural dos Negros de Erechim (Mene), Claudete Duarte Milkiewicz; o funcionário público Claudio Artur Santos Oliveira; a professora aposentada Margarete Fátima da Silva; o gari Antônio Carlos Gomes da Rosa; o atleta Jurandir de Jesus; e o Mene, representado pelos membros Monique Rosset e André Ribeiro.

“É nosso dever combater o racismo”

Representando os vereadores na tribuna, Dal Zotto reforçou a necessidade de que o debate sobre a importância da comunidade afro-brasileira na sociedade e o combate ao racismo não devem ser restritos apenas ao dia 20 de novembro. O parlamentar também chamou a atenção para que Erechim seja mais respeitosa com a história dessas pessoas. “Ao longo de sua centenária história, nossa cidade inúmeras vezes negligenciou o papel fundamental destes grupos junto ao desenvolvimento local, e é por isso que iniciativas como cotas e o Dia da Consciência Negra são fundamentais para combatermos todas as formas de racismo”, ressaltou.

“História de valor”

Em nome do Mene e dos demais agraciados com o Troféu Castelinho, o historiador André Ribeiro destacou as trajetórias de vida de todos os homenageados, enfatizando o enfrentamento à discriminação. “Quem conhece, quem conviveu com essas pessoas sabe muito bem do valor que elas têm. Graças a todos vocês estamos aqui hoje, que a história de vida de cada um continue iluminando nossa luta contra o racismo e contra o preconceito”, frisou.