Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

Ferramentas Pessoais

Navegação

Você está aqui: Página Inicial / Sobre a Câmara / Notícias / Vânia requer envio de Moção de Repúdio aos atos de violência sexual contra mulheres

Vânia requer envio de Moção de Repúdio aos atos de violência sexual contra mulheres

por Maristela Guareschi publicado 03/06/2016 08h29, última modificação 03/06/2016 08h29

        Em análise dos vereadores na próxima segunda, proposição da vereadora Vânia Miola requer o envio se Moção de Repúdio aos atos de violência sexual praticados contra as mulheres. A mesma deverá ser enviada para o Conselho da Mulher de Erechim, Comissão de Defesa da Mulher e Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado.

         Vânia lembra que no feriado de Corpus Christi ocorreram inúmeros acidentes, assassinatos e, “para agravar ainda mais este clima de insegurança, passando a ser um pesadelo cotidiano para todos, os registros diários de que são agredidas e estupradas mulheres no meio da sociedade, sofrem constantes elevações no número, atingindo um patamar inaceitável, senão bastasse este surto de maus tratos intermináveis e abusos, registramos com muita tristeza a monstruosidade do estupro coletivo ocorrido no Rio de Janeiro, na última semana, contra uma jovem de 16 anos de idade”, lamenta.

         “Drogaram a menina e a levaram para um local denominado de abatedouro, casa que usavam para estes crimes hediondos. Foram 33 homens que não devem tido mãe, irmã, mulher, companheira ou amiga. Senão bastasse todo este sofrimento, a jovem foi constrangida quando prestava depoimento, cujo os fatos motivaram inclusive no afastamento do delegado que cuidava do caso”, pontua.

         Parlamentar reforça que em Gravataí, um homem foi preso por abusar de quatro crianças, a mais nova com dois anos de idade e a primogênita com sete anos de idade. “O agravante é que a mãe acobertava a prática costumeira de abuso sexual das próprias filhas pelo companheiro. A família é tudo, mas a lei também tem que funcionar neste país. A sociedade tem o dever de não deixar que barbáries como esta fiquem impunes. Desta vez foi esta menina, e com quem e onde será a próxima?”.

         “A mulher é livre e independente, não tem dono, nem proprietário, ninguém tem o direito de violar ou abusar de seu corpo, é um humano igual aos homens e precisa ser respeitada e preservada a sua dignidade e posições pessoais. Mulher não é objeto de uso por quem quer q         ue seja. É um ser independente, livre, e a educação não cabe somente à escola, vem de berço. Os princípios de respeito, responsabilidade e amor ao próximo são forjados em família. Por isso o dever de bem educar nossas crianças corretamente, não pela ameaça, mas pelo bom exemplo e a autoridade de pais. Se assim procedermos, iniciaremos a reversão destas autoridades, que são uma constante nos noticiários diariamente”, finaliza.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis.